A Princesa Banguela


A princesa Gisella vivia em um lindo castelo aproveitando cada dia de seus orgulhosos oito anos.

Ou, ao menos, pensava que sim.

Bela como a rainha, sua mãe, se vangloriava de ser a mais linda de todas as princesinhas.

Mas para manter toda essa beleza, mal brincava com as outras crianças por medo de estragar o lindo cabelo ou amassar seu vestido colorido.

Passava, então, as longas tardes ensolaradas apenas observando as outras crianças do alto de uma sacada onde, ocasionalmente, lançava lencinhos perfumados para meninos que se mostravam corajosos nas brincadeiras.

A rainha, fonte de onde havia herdado toda a sua beleza, falava preocupada:

– Vá brincar, Gisella. Uma menina da sua idade deve se divertir.

Mas, Gisella, teimosamente respondia:

– Eu não sou menina! Eu sou princesa! E princesa não brinca! Só espera pelo príncipe encantado.

E, para sua grande felicidade, Gisella já tinha o seu. Se chamava Ricardo, filho do bom rei do Norte, um belo e corajoso menino no auge de seus dez anos.

Gisella e Ricardo haviam sido prometidos em casamento desde o dia de seus nascimentos e, em poucos dias finalmente, iriam se conhecer.

Gisella não media esforços em se preparar para esse dia tão especial, mandando convocar os mais famosos cabeleireiros do reino, mercadores do longínquo oriente trazendo os mais belos tecidos para vestidos e pedras preciosas para novas jóias.

Teria de estar deslumbrante para o seu querido Ricardo. Brincar, então, como sua mãe sugerira? Nem pensar!

Sentia até um calafrio só de imaginar quebrar uma unha, amassar o vestido ou pior ainda… desarrumar o cabelo!

E o grande dia finalmente chegou. No início da manhã, as trombetas do palácio despertaram Gisella, anunciando orgulhosas a chegada da grande comitiva do reino vizinho.

Seu coraçãozinho batia acelerado ao imaginar que entre os recém-chegados estaria seu querido Ricardo!

A princesinha logo pulou de sua cama e correu para o espelho, mas logo soltou o grito mais alto e estridente de sua vida ao olhar para seu belo rosto.

– AH NÃO!

princesabanguela

Seu dentinho da frente havia caído!

Sua vida imediatamente desmoronou e perdeu todo o sentido. Chegou até mesmo a ficar com febre de tanta frustração.

O rei, seu pai, entrou em seu quarto juntamente com os guardas correndo assustado, e ao ver os motivos da preocupação de sua filha, imediatamente esboçou um grande sorriso no rosto.

– Minha filha querida, não fique assim. Você ainda é jovem demais para se preocupar com essas coisas.

Tenho certeza de que o príncipe Ricardo não irá se importar.

– Você está maluco pai! Não vejo ele assim de jeito nenhum! Nenhum! Ouviu?

– Mas, minha filha! Se fizer isso, o príncipe vai ficar triste. Ele veio de muito longe só para te conhecer.

Gisella, apesar de todo o nervosismo, viu razão nas palavras do pai. Se o príncipe não a visse ficaria ainda mais decepcionado.

Criando coragem colocou seu lindo vestido novo e se arrumou da melhor maneira possível. Ao acompanhar o pai para a sala de audiência real  prometia a si mesma não sorrir.

O Príncipe Ricardo era mesmo tudo o que havia sonhado. Lindo e muito simpático, correu logo para cumprimentá-la com um enorme sorriso estampado no rosto.

Nesse momento Gisella teve de segurar uma enorme vontade de chorar.

– Que vergonha – pensava – Que horrorosa ele vai me achar!

– Olá, Gisella – disse Ricardo feliz e cortês.

Apesar de todos os esforços de Gisella em conter o choro, uma lágrima rebelde conseguiu escapar de seus belos olhos.

– Mas porque choras, Gisella querida? Não sabes que és o amor de minha vida?

Ao ouvir aquelas palavras, Gisella ficou tão feliz que até se esqueceu do dentinho e sorriu.

– Que gracinha! Perdeu um dentinho – disse Ricardo encantado – Os meus já caíram todos e meu pai me disse que já sou um rapazinho.

Ricardo, então, a chamou para brincar e mostrar seu castelo e Gisella, então, esqueceu do dentinho, das belas roupas e até mesmo do penteado.

E, junto com as outras crianças, brincaram muito todos os dias.

Afinal, amiguinhos, a coisa mais importante na vida de uma criança é simplesmente brincar e ser feliz!

FIM

Rodrigo Lopes

Conhece alguma menininha vaidosa ao extremo? Esta historinha é legal para trazer a oportunidade de conversar sobre este assunto! Em nossa opinião, criança deve ser criança! Aproveitar ao máximo esta fase tão especial e importante de nossas vidas!

O que você acha? Deixe sua opinião nos comentários.

  • Já conhece nosso aplicativo gratuito de histórias infantis inéditas? Leia mais sobre AQUI!
  • Para ler nossas outras histórias infantis, clique AQUI!
  • Se te interessar, temos nossa sessão PARA COLORIR com ilustrações de nossas historinhas.
Anúncios

Comente AQUI! É sempre uma alegria ler a sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s